"Quero Matar Meu Chefe": como lidar com um superior difícil

"Quero Matar Meu Chefe": como lidar com um superior difícil

De uns anos para cá, o perfil esperado de um chefe mudou bastante. Hoje, ele é muito mais um líder do que aquela figura autoritária, difícil e que se coloca o tempo todo como superior a equipe. Ou, pelo menos, esse é o caminho que o cargo está seguindo. Se seu superior parece ter saído do filme “Quero Matar Meu Chefe”, saber como lidar com um chefe difícil é fundamental.

“Quero Matar Meu Chefe”, lançado em 2011, explora uma versão extrema dessa situação. No filme dirigido por Seth Gordon, três amigos — vividos por Jason Bateman, Charlie Day e Jason Sudeikis — percebem que seus terríveis chefes são os maiores obstáculos no caminho para a felicidade e o sucesso. Então, eles decidem assassiná-los.

Trata-se de uma comédia, com situações absurdas e exageradas. Mesmo assim, “Quero Matar Meu Chefe” tem muita coisa a ensinar, especialmente sobre inteligência emocional para lidar com os problemas no ambiente profissional. Continue a leitura e conheça essas lições!

Mostre suas limitações

Muitas vezes, o chefe age de maneira questionável por “esquecer” que seus funcionários são seres humanos com peculiaridades e limitações. Uma das características mais comuns desse tipo de superior é tratar a equipe como uma massa uniforme, e não formada por indivíduos.

Portanto, tente “desarmá-lo” ao mostrar suas próprias limitações, fazendo-o enxergar o ser humano por trás do funcionário.

Há colaboradores que fazem tudo o que é pedido sem questionamentos, o que apenas os incentivam a manter esse comportamento. Se você não pode ficar todo dia até mais tarde porque precisa buscar os filhos na escola, por exemplo, diga “não” e explique o motivo.

Apresente soluções para os problemas

Como eles ocupam um cargo superior, tendemos a acreditar que os chefes sabem mais do que os colaboradores sobre tudo que envolve a empresa. Isso nem sempre é verdade, especialmente no caso de lidar com chefes difíceis — muitos deles são assim por imaturidade e insegurança. Também é importante entender que cada colaborador contribui com diferentes inteligências e habilidades.

Apresentar soluções para os problemas do setor ou da companhia é uma excelente tática porque, além de surpreender seu superior, você ainda mostra a ele do que é capaz. A insegurança pode fazer com que ele tenha medo da própria equipe. Então, cabe a você dar o primeiro passo para quebrar essa resistência.

Ao trazer ideias, estratégias e possibilidades, você mostra que está aberto ao diálogo e que não é uma ameaça. Essa pode ser uma chance incrível de forçá-lo a sair da zona de conforto e a se desenvolver enquanto um verdadeiro líder.

Não seja grosseiro se ele for grosso com você

O superior difícil costuma ter o hábito de elevar a voz e de fazer de tudo para ter a última palavra. Exausto dessa situação, você vai precisar se esforçar para não responder à atitude dele da mesma forma.

Isso acontece por dois motivos. O primeiro é que, por mais que ele seja o lado errado da situação, ele é o chefe e você, o subordinado. Especialmente se ninguém mais tiver coragem de expô-lo, quem vai sair prejudicado é você.

A segunda razão é que, quando um dos lados se entrega à imaturidade, é ainda mais importante que o outro mantenha o equilíbrio se quiser que o diálogo não decaia para a total perda de tempo. Ser grosseiro, em especial no ambiente profissional, diminui o nível de racionalidade da conversa.

Entenda o perfil do seu chefe

Existem diversos tipos de superiores difíceis. Em “Quero Matar Meu Chefe”, os personagens centrais lidam com diferentes problemas causados por essa figura. O chefe de Nick, personagem vivido por Jason Bateman, é um executivo financeiro sádico e agressivo, que passa meses fazendo Nick acreditar que está prestes a ser promovido apenas para ele mesmo tomar o cargo.

Enquanto isso, Dale, vivido por Charlie Day, lida com uma chefe que se comporta de forma excessivamente íntima e ainda o chantageia. Já o contador Kurt, interpretado por Jason Sudeikis, entra em desespero quando a empresa passa a ser comandada pelo incompetente e apático filho do seu falecido ex-chefe.

Seu superior provavelmente não será tão complicado assim, mas quando você identifica que tipo de chefe difícil é o seu, fica mais fácil elaborar maneiras de lidar com ele. Além disso, será possível pensar em táticas para que, mesmo que demore um pouco, ele comece a repensar suas atitudes.

Valorize os pontos positivos do superior

Ao analisar o tipo de perfil do seu chefe, talvez você descubra que a dificuldade de trabalhar com ele seja resultado simplesmente da incompatibilidade entre as personalidades de vocês. Ou, talvez, ele não seja tão proativo quanto um verdadeiro líder, mas um superior capacitado em outros aspectos.

Isso acontece em nossas vidas pessoais também. Às vezes, você apenas não sente afinidade por outra pessoa por determinado motivo e, com isso, acaba realçando tudo o que ela tem de negativo e ignorando suas boas qualidades — sem nem perceber.

Portanto, tente mudar a atitude em relação ao seu chefe e passe a ficar atento ao que ele tem de positivo e no que oferece à empresa. Para começar, responda a esta pergunta: Em que ele se destacou para chegar e se manter em um cargo superior? Isso vai ajudá-lo a enxergar o que ele pode ter de bom a oferecer para você e a equipe.

Não mostre o quanto o chefe atinge você

Quando o chefe percebe o quanto você é atingido pelo comportamento dele, isso o incentiva a reforçar ainda mais essas características negativas. Portanto, o ideal é agir como se estivesse tudo bem. Isso acaba por forçá-lo a tratar você normalmente e, dependendo do caso, pode levá-lo a rever a própria atitude.

Há superiores, por exemplo, que são pessimistas e agem como se tudo fosse dar sempre errado. A chave, então, é não incentivar essa visão. Deixe ele falar o que quiser, mas não concorde — nem discorde! Seus resultados provarão o contrário.

Enquanto isso, outros chefes são convencidos e comportam-se como se fossem melhores do que todos os outros funcionários. Muitos colaboradores incentivam isso por quererem bajular o chefe. Mas o ideal é não ser influenciado por esse tipo de comportamento.

Para finalizar, é importante entender que esse tipo de figura está fadado a desaparecer, mesmo que ainda estejam presentes em diversas empresas. Portanto, aproveite as lições de “Quero Matar Meu Chefe” e aplique no seu cotidiano as nossas táticas para saber como lidar com um chefe difícil!

Gostou deste post? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude seus amigos e colegas a também lidarem melhor com essa situação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *