O que avaliar na hora de mudar de emprego?

O que avaliar na hora de mudar de emprego?

Mudar de emprego é uma decisão que tem poder para transformar uma carreira. O desejo de qualquer profissional em fase de ascensão é ser reconhecido em sua área de atuação.

Além disso, qualquer pessoa que tenha investido na própria formação pensando em uma colocação melhor no mercado quer receber recompensas por isso, seja na forma de um aumento de salário ou de uma promoção.

Porém, fazer uma escolha tão radical como mudar de emprego não é simples. Ela envolve muitos fatores, que abrangem desde o perfil do profissional e seu preparo para assumir uma nova função até a situação do próprio mercado de trabalho: o momento pode ou não ser propício para esse movimento.

Pesar bem cada ponto a favor e contra essa guinada nos rumos de uma carreira pode fazer toda a diferença para o sucesso no trabalho. No entanto, tomar uma decisão precipitada ou que não seja a mais adequada pode atrasar o desenvolvimento ou até mesmo prejudicar a vida de um profissional.

Saber identificar os sinais da insatisfação profissional é importante para entender como proceder na mudança de emprego. Detectar o que está errado também pode ser útil para buscar melhorias no próprio ambiente de trabalho, antes mesmo de cogitar a troca.

A seguir, vamos ver alguns desses sinais e como eles podem, inclusive, ser úteis para melhorar seu desempenho profissional em qualquer empresa.

4 sinais de que é hora de pensar em mudar de emprego

1. Você não se sente reconhecido em sua área de atuação

São inúmeros os desafios do mercado de trabalho, desde encontrar as primeiras oportunidades até permanecer um profissional competitivo diante de transformações cada vez mais rápidas em tecnologia e conhecimento para exercer as mais variadas funções.

Mas se você já tem algum tempo de estrada, sentir que seu talento está sendo desperdiçado é um dos principais gatilhos para a insatisfação profissional.

Busque saber qual é a causa dessa situação: sua empresa não dá abertura para tarefas que aproveitem seu potencial de crescimento? A forma como ela recompensa os profissionais não favorece seu desenvolvimento? A área em que você trabalha ofusca sua criatividade?

Entender esses pontos é essencial para saber qual é a transformação que precisa ser feita para você evoluir em sua carreira.

2. Você não se dá bem com seus colegas de trabalho

Atritos não são incomuns no ambiente de trabalho. Eles podem ocorrer em seu dia a dia com pessoas do mesmo nível hierárquico ou até mesmo com seus superiores. É natural que profissionais com diversos históricos tenham opiniões diferentes e até mesmo conflitantes.

Porém, é importante saber quando essas diferenças estão, de fato, sendo prejudiciais para o seu crescimento profissional. Trabalhar em um ambiente de controvérsias pode afetar o desenvolvimento de sua carreira e até mesmo sua saúde.

3. Você não tem perspectiva de crescer em sua empresa

Ao analisar sua atual ocupação, você não vê possibilidades de evoluir em sua vida profissional. Aqui, vale fazer um diagnóstico um pouco mais preciso sobre o que está faltando para que você dê o próximo passo: as oportunidades de crescimento na empresa são escassas? Você não se identifica com os produtos e serviços oferecidos por sua companhia? Você não quer chegar a uma posição semelhante à do seu superior?

Responder a essas e outras questões relacionadas vai ajudar você a esclarecer o que poderia ser diferente em seu dia a dia para estimular seu crescimento profissional. Muitas vezes, há caminhos inexplorados dentro da própria empresa em que você trabalha. Porém, em outros casos, é preciso mudar de emprego para ter chances melhores de evoluir na carreira.

4. Falta paixão e entusiasmo em sua rotina de trabalho

As segundas-feiras estão ficando cada vez mais difíceis de encarar? O estresse, a ansiedade ou até mesmo a depressão estão batendo à porta? É hora de parar para respirar e refletir sobre o que está causando esses sintomas.

Porém, apenas culpar de forma genérica o trabalho não basta. É preciso fazer um diagnóstico mais profundo do que está causando o incômodo.

Se houver abertura, converse com seus superiores sobre sua insatisfação e busque alternativas para mudar sua rotina dentro da própria empresa. Às vezes, uma alteração em sua lista de tarefas ou mesmo a migração para outro setor da companhia podem dar a você um novo fôlego.

Ponha seu histórico profissional na balança

Antes de mudar de emprego, avalie seu currículo acadêmico e reflita sobre a necessidade de investir em sua própria educação antes de mudar de emprego.

Fazer um curso de atualização, pós-graduação ou mesmo uma graduação tecnológica pode ampliar seu horizonte. E não é obrigatório fazer um curso presencial: o ensino a distância pode ser um poderoso aliado nesse sentido.

Além disso, também pode ser uma boa oportunidade para fazer networking. Já pensou que a chance que você procura pode vir por meio de um contato feito nesses cursos?

Entenda o momento do mercado e fique atento às oportunidades

Mantenha-se atualizado sobre o momento vivido pelo mercado como um todo: como estão as perspectivas de crescimento para sua área de atuação nos próximos anos? Qual é a necessidade de se atualizar para continuar sendo um profissional competitivo? O momento econômico favorece a migração ou é hora de ter um pouco mais de paciência antes de mudar de emprego?

Além disso, o radar de oportunidades deve permanecer sempre ligado. Fique atento às movimentações nas empresas e às novas vagas e projetos que podem surgir.

O empreendedorismo e as startups também são novos caminhos que profissionais estão encontrando para ter mais satisfação em sua vida profissional. Muitas dessas empresas cresceram e agora estão absorvendo mão de obra qualificada que veio de grandes empresas.

Avalie sempre as alternativas à sua disposição, ainda que você não tenha certeza de que é, de fato, a hora de fazer um movimento mais decisivo em sua carreira.

Quer saber mais sobre educação e mercado de trabalho antes de mudar de emprego? Assine a nossa newsletter e receba as últimas novidades sobre esses e outros assuntos direto em seu e-mail.

Uma Resposta
  1. Sim, acredito que o momento é de muito cuidado. O mercado está turbulento e quem estar empregado deve medir bem as suas decisões. Quem sabe tirar umas férias para melhorar mais a mente e pensar com calma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *